quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Os jovens e a política...

Neste momento é frequente ouvir da boca de muitos jovens frases como: "A política é chata!", ou "Isso é um desperdício de tempo!",ou "Não vai adiantar nada!", entre outras que penso que em nada dignificam os jovens, colocando-os mesmo a jeito de ouvir certas e determinadas coisas.

Assim sendo, será que os jovens perderam interesse pela vida associativa? A resposta, é certamente um sim, muitos dos jovens actuais preferem optar por estar longe da vida política do seu país, ficando centrados no seu próprio "umbigo". Tal deve-se ao facto dos partidos políticos não irem ao encontro dos interesses dos jovens. Além disso, com o crescente individualismo que a sociedade actual está a causar nas gerações actuais e vindouras é previsível que tal situação se vá agravar ainda mais.

Mas é muito mau, uma vez que nós, os jovens, somos aqueles vão ter de governar o país no futuro... Além disso, criticar a sociedade, as políticas actuais é simples, mas, o que se pede é que se vá mais além, que participem, não é preciso filiação em partidos, basta apenas ser cidadão, algo que me atrevo a dizer que 90% dos jovens não sabem o que quer dizer.

O mais importante do exercício da nossa cidadania é que se manifestem e que de alguma forma contribuam para mudar aquilo que está mal.

Espero que este meu pequeno texto desperte a atenção dos jovens, e que sirva de estímulo a que, mais jovens, sejam acima de tudo cidadãos.

4 comentários:

Anônimo disse...

Caro Ricardo não deixas de ter razão! Mas nota bem, os partidos enquanto forem Srs. que ora são deputados, ora governadores, ora secretários de estado, que distribuem entre si os cargos (€), não podes pedir aos jovens que se interessem por coisas que só mais dos mesmos é que mamam! e quando os jovens precisam, esses mesmos srs. estao muito ocupados a ganhar o deles!a politica em portugal é aquilo que todos dias vês na tv! achas que alguem com o minimo de seriedade quer fazer parte do circo?

Ricardo Santos disse...

Meu amigo Anônimo ;), tenho noção disso, mas também tenho noção de que, quem não participa não se pode queixar, não pode reivindicar. Porque criticar é fácil, difícil é dar a cara e lutar para mudar isso... e eu penso que posso fazer a diferença,e penso que todos podemos, por isso, não se pode deixar de lutar. Um abraço

X.R disse...

Não nos podemos esquecer que a sociedade já não é o que era, este povo precisa de ser espezinhado e humilhado para dar o grito de revolta. Como já referiste só pensamos no nosso umbigo, e esquecemo-nos que nas últimas décadas os governantes têm cometido sempre os mesmos erros. Se estivéssemos no tempo dos nossos bisavôs já teria havido muitas revoluções, isto é, porquê que não somos como o povo grego, francês, ou mesmo alemão? Estes não ficam calados e lutam pelas suas causas.
E nós? Sempre com as mesmas palas e atrás do que não existe…

Ricardo Santos disse...

Ora ai está... temos de começar a olhar mais além do nosso umbigo. como se costuma dizer, e desculpem a expressão, se o vizinho não mijar no meu quintal está tudo bem.