quinta-feira, 28 de julho de 2016

Egoísmo

Egoísmo

Como decifrar esta saudade…
Como explicar esta mágoa que percorre o meu corpo…
Sinto … um vazio do dimensão do meu ser… um sentimento de perda que não se decifra e apenas se pode sentir…
Luto cada dia por um sinal de vida, por um simples olhar desencontrado na rua…
Amor é palavra que já não consegue qualificar um sentimento que une um mundo num sopro de vida…
Não entendo onde errei, onde posso ter fendido… não encontro a razão…
Sou débil… sou um sopro contra uma tormenta…
Nunca esmolei nada… nunca exigi nada… porque o amor assim é… uma entrega sem retorno…
Mas do fundo do meu egoísmo… do fundo do nada… por uma vez peço…
Deixa-me ser um… deixa-me encontrar num simples olhar perdido a silhueta do que fui…

Somos um…


Nenhum comentário: